26 de Fevereiro de 2017
Município de
Vila Pouca de Aguiar
Siga-nos no: facebook twitter youtube rss
Você está aqui: Vila Pouca de Aguiar > Caracterização > Geologia
Geologia

Geologia

 

O concelho de Vila Pouca de Aguiar tem elevada importância e diversidade em termos de recursos geológicos. Situando-se numa mancha alongada de granito biotítico, tardi a post-tectónico (desde Vidago até ao sul de Vila Pouca de Aguiar), Vila Pouca de Aguiar assume-se como sendo a “Capital do granito”. Não obstante, verificam-se áreas importantes de xistos.


A Zona Alvão, de constituição exclusivamente granítica, caracteriza-se pela presença de um maciço que compreende a extensa plataforma planáltica, atingindo o ponto culminante aos 1.329 m, e as vertentes abruptas que a circundam. A Veiga de Vila Pouca de Aguiar, que se alonga desde Vila Real, passando por Vila Pouca de Aguiar até Chaves, correspondente ao Vale do Corgo, constitui elemento morfológico notável, o qual separa a sub-região do Alvão do maciço granítico da Padrela. A formação deste vale e das encostas que o ladeiam deve-se a movimentações relativamente recentes da falha Penacova-Régua-Verim, uma falha muito antiga, com mais de 300 milhões de anos. Em termos geolitológicos, encontram-se, na região Alvão, granitos porfiroides, materiais rochosos que, no Vale de Vila Pouca de Aguiar, estão recobertos por terraços antigos e depósitos aluviões recentes.


A Zona da Padrela inclui uma superfície planáltica de topo, que atinge altitudes da ordem dos 950 m, de relevo ondulado ou ondulado-suave, da qual se erguem raros relevos residuais que marcam escassas diferenças de nível (pontos culminantes: na Padrela a 1.148 m e na Falperra a 1.132 m). Distinguem-se três situações que essencialmente se relacionam com as formas de relevo da superfície planáltica e com um substrato litológico. A parte setentrional, formada por granitos, de relevo aplanado e formas suaves, formada pelo talude escarpado que deita para o vale de Chaves. A parte central, correspondente a xistos, de formas de relevo expressivas pelo entalhamento do Rio Tinhela e do seu afluente Curros, desenhando vales profundos em «V». A parte meridional, constituída por granitos ora de formas suaves ora em penhascos, evolui gradualmente para sul, sendo o seu limite brusco pelo contacto com a plataforma xisto-grauváquica do Douro. No que se refere à geolitologia, a Zona da Padrela inclui granitos biotíticos porfiroides (na parte setentrional), granitos de duas micas de grão médio (na parte meridional) e um complexo de xistos e granitos (na parte central).


O granito da região tem sido largamente explorado desde tempos remotos, como mostram os vários aglomerados graníticos que se encontram na região planáltica: os testemunhos da civilização dolménica em antas e outros monumentos, fortificações castrejas, templos de estilo românico e a arquitetura rústica com os seus "canastros", "espigueiros" ou "caniços" e típicos relógios de sol até aos dias atuais, bem como a exploração das pedreiras, sendo considerado, a nível do país, o granito com maior valor económico.


As mais importantes pedreiras para rocha ornamental localizam-se no granito de Pedras Salgadas, que ocorre na parte central do maciço. Este granito apresenta uma boa homogeneidade de cor e textura e uma fracturação suficientemente espaçada, tornando viável a obtenção de blocos com as dimensões adequadas para o seu aproveitamento.


Na área do distrito mineiro romano constituído por Tresminas e Campo de Jales produzia-se, além do ouro e da prata, o chumbo e outros minerais acessórios. As cortas romanas de Tresminas estão num alinhamento concordante com a estruturação geológica, resultante da Orogenia Varisca, com orientação N120º, localizando-se no limite entre as Unidades de Curros (UC) e Fragas Negras (UFN), na zona de cisalhamento dúctil que foi responsável pela silicificação e cloritização dos metassedimentos. A deposição do ouro verificou-se tardiamente em zonas silicificadas, por Acão de fluidos aquosos. O ouro em Tresminas, ao contrário do que acontece em Jales e na Gralheira, não está associado a filões de quartzo, mas sim a metassedimentos silicificados, facto que terá condicionado o método de exploração.

Agenda
Fevereiro, 2017
Mês Anterior Mês Seguinte
2016-10-01 a 2017-03-20
2016-10-01 a 2017-03-20
2017-01-12 a 2017-03-31
Palacete Silva
2017-02-01 a 2017-03-31
Loja Interativa de Turismo, Pedras Salgadas
2017-02-01 a 2017-03-10
Museu Municipal Padre Rafael Rodrigues
2017-02-02 a 2017-02-28
Pelo concelho
2017-03-03 a 2017-03-05
Mercado Municipal
2017-03-01 a 2017-03-24
concelho
2017-03-01 a 2017-03-31
Pelo concelho
Últimos documentos...
Avisos | DMA - Secção de Recursos Humanos
Data: 2017-02-22 | Tamanho: 288 KB
Avisos | DMA - Secção de Recursos Humanos
Data: 2017-02-22 | Tamanho: 317 KB
Avisos | DMA - Secção de Recursos Humanos
Data: 2017-02-22 | Tamanho: 292 KB
Avisos | DMA - Secção de Recursos Humanos
Data: 2017-02-22 | Tamanho: 270 KB
Resumos Câmara | Câmara Municipal
Data: 2017-02-22 | Tamanho: 190 KB