Programas Aldeia Segura e Pessoas Seguras

O concelho de Vila Pouca de Aguiar vai ser palco de uma ação de prevenção, no próximo dia 4 de junho, que visa aumentar a proteção das populações contra os incêndios florestais.

A iniciativa é promovida pela Autoridade Nacional de Proteção Civil, que na região será implementada pelo Centro Distrital de Operações de Socorro de Vila Real.

Esta atividade da ANPC, em colaboração com a ANMP – Associação Nacional de Municípios Portugueses e ANAFRE – Associação Nacional de Freguesias, surge no âmbito dos programas Aldeia Segura e Pessoas Seguras.

Estes programas visam promover “mais segurança envolvendo os cidadãos como parte do sistema de proteção civil”, contribuir para a “salvaguarda de pessoas e bens”, implementar estratégias de “proteção de aglomerados populacionais face a incêndios rurais”, criar “hábitos de segurança na população” através de medidas de autoproteção e treinando-a para “condutas adequadas” em caso de evacuação e sensibilização para comportamentos que minimizem o risco de incêndio e “aumentem a segurança das comunidades”.

Na autodefesa do aglomerado, haverá o Oficial de Segurança Local que será uma pessoa voluntária e preparada para auxiliar e mediar na operacionalização de medidas de socorro à população.

Para a realização dos dois programas já há um guia de apoio à implementação de iniciativas de prevenção onde não faltam medidas de autoproteção, de que são exemplos: Se estiver próximo de um incêndio ligue 112, retire a sua viatura do acesso ao incêndio, avise os vizinhos, regue exterior de casa e dez metros de área envolvente; se ficar cercado, dirija-se para um abrigo, respire junto ao chão e com lenço húmido na cara; para evacuar, mala com documentos, kit de evacuação (primeiros socorros, medicação habitual, água e comida, higiene, rádio, lanterna e apito, etc.), caminhos de saída livres e pontos de encontro com a família, entre outras medidas.

Os melhores cães portugueses vão correr e saltar com ‘faro no mundial’

Vila Pouca de Aguiar vai receber prova de competição canina que irá apurar os representantes de Portugal no Campeonato Mundial de Agility.

No próximo fim de semana, 26 e 27 de maio, o Complexo Desportivo Municipal vai receber cerca de meia centena de cães e condutores nesta prova seletiva.

As provas irão decorrer sábado (entre as 12h45 e as 19 horas) e domingo (entre as 9h30 e as 15 horas) no campo de 7 que integra a pista Zé Cavaco.

Inicialmente, o percurso é definido pelo juiz de prova e os obstáculos (salto, túnel, paliçada, e outros) correspondem ao nível de dificuldade e grau do cão, designadamente grau 1 (iniciado), grau 2 (intermédio) ou grau 3 (avançado). Depois, ainda sem o cão, o condutor tem entre cinco a sete minutos para o reconhecimento da pista, e inicia a prova com o cão a ter que, velozmente, seguir a ordem correta dos obstáculos, marcar as obstruções de contacto e evitar queda de varas para terminar a prova sem faltas.

Contando com o apoio do Município, esta competição será realizada pelo Caniclube – Escola de treino canino fundada em 1997, Maia, que se dedica a obediência básica e ao agility (tem uma equipa de competição a participar no Campeonato Nacional desde 1997 e já organizou 90 provas do campeonato).

O Campeonato Nacional de Agility desenrola-se sob a égide do Clube Português de Canicultura e é constituído por cerca de 30 provas organizadas pelos clubes de agility. O Campeonato Mundial de Agility 2018 irá decorrer de 4 a 7 de outubro em Suécia).

Município premeia melhores alunos

Os melhores alunos do 10º, 11º e 12º anos de escolaridade vão poder participar de 2 a 7 de julho na Universidade de Verão que vai realizar-se na Universidade de Coimbra.

Nesse sentido, e tendo por base o regulamento, os alunos aguiarenses com “melhor média de classificações de avaliação sumativa do 2º período, por ano de escolaridade” vão poder desfrutar de uma “experiência enriquecedora” com atividades educativas, culturais e desportivas.

Os alunos contemplados são Duarte dos Santos, Inês Belo e Isabel Belo (10º ano), Maria Rodrigues, Ema da Costa e Diana Geraldes (11º ano), Bárbara Gonçalves, Raquel Belo e Daniel Silva).

O Município assegura a inscrição, transporte e respetiva logística (refeições e estadia dos alunos).

Protocolos entre Município e Associações

O Município de Vila Pouca de Aguiar, representado pela vice-presidente da Câmara, Ana Rita Dias, e as associações culturais e desportivas (que não se regem pelo calendário competitivo), representadas pelos respetivos dirigentes associativos, rubricaram os contrato-programas para 2018.

Esta sessão que decorreu a 21 de maio assinala a atribuição um incentivo financeiro por parte da autarquia para o corrente ano mediante a prossecução de um plano de atividades da respetiva associação a realizar no concelho.

Os protocolos envolvem o Município e cerca de 30 associações locais que têm atividades compreendidas entre 1 de janeiro e 31 de dezembro.

Nesse sentido, as associações desportivas (que não se regem pelo calendário competitivo) e as culturais recebem 50% da comparticipação no mês de maio e as restantes tranches decorrerão nos meses de julho e dezembro (após entrega de relatório e de contas).

Ao apoio financeiro da autarquia acresce a cedência de transporte para a realização das atividades mediante disponibilidade do mesmo.

O caminho para a harmonia familiar

A Formação Parental esteve em foco na palestra que uniu um grupo de pessoas e representantes de várias coletividades com atividade social e cívica.

A sessão foi aberta pelo pároco António Paulo, que preside à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Vila Pouca de Aguiar, e contou com a presença da vice-presidente do Município, Ana Rita Dias, mais elementos da CPCJ e da comunidade local.

A palestra Formação Parental, a 20 de maio, foi proferida por José Carlos Gomes da Costa, docente na UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

O contacto interpessoal entre o preletor e as pessoas da plateia composta por crianças e adultos simplificou a obtenção de conhecimento pedagógico.

Educar (por vezes, “os mais velhos demitem-se de o fazer!”) tem por base a coerência do que somos e o que fazemos, em suma, o «melhor exemplo de educar é dar o exemplo». O que é fundamental nos educadores é amor e disciplina, que deverão ser aplicados em equilíbrio. Este é o caminho para a harmonia familiar.

Esta conferência, que se realizou no auditório do Palacete Silva, surgiu no âmbito do Dia Internacional da Família (15 de maio).

Campo aguiarense volta a sorrir às atletas de andebol da Madeira

Vila Pouca de Aguiar já é talismã da equipa sénior feminina de andebol da Madeira, que venceu a Taça de Portugal.

A Madeira Sad conquistou, a 20 de maio, a sua 18º taça ao vencer o Sir 1º de Maio, equipa da Marinha Grande, por 27-14.

A vice-presidente do Município, Ana Rita Dias, bem como representantes da Federação de Andebol de Portugal e da Associação de Andebol de Vila Real estiveram presentes neste evento nacional que recebeu claques das equipas bastantes entusiastas.

A final four juntou no pavilhão Dr. Gomes da Costa quatro equipas com jogos muito disputados nas meias-finais – A Madeira Sad venceu o Colégio de Gaia por 23-22 e a Sir 1º de Maio venceu a Maiastars por 26-24.

Vila Pouca de Aguiar já havia recebido esta competição em maio de 2005, que então também foi ganha pelas atletas da ilha da Madeira.

Dia Internacional dos Museus

O Museu Municipal Padre José Rafael Rodrigues será o ponto de encontro da população que terá ao seu dispor duas sessões culturais através da companhia Filandorra.

Durante o Dia Internacional dos Museus, 18 de maio, a partir das 15 horas, a comunidade sénior confraternizará entre o espaço cultural e o jardim contíguo. E a partir das 21 horas haverá uma sessão destinada ao público em geral.

“À Manhã”, da autoria de José luís Peixoto, é uma peça em que, segundo o diretor artístico da Filandorra Teatro do Nordeste, David Carvalho, atores e público redescobrem os modos de estar, as rotinas, as falas… dos “nossos” idosos, num grito de alerta para a necessidade de “ver e sentir” o quotidiano do mundo rural, os problemas do despovoamento e envelhecimento das populações das aldeias do interior do país.

A comunidade terá à sua disposição o equipamento cultural que atualmente, além das exposições permanentes, tem patentes as exposições Instrumentos musicais chineses e Bronzes da antiguidade chinesa.

Trabalho solidário com as crianças do IPO

Workshop será no dia 16 de junho na Loja Interativa de Turismo. As inscrições são gratuitas mas limitadas, pelo que as pessoas interessadas em participar poderão inscrever-se na Loja Interativa de Turismo até dia 12 de junho (e-mail: turismo@cm-vpaguiar.pt; tel. 259439000).

Nesta atividade serão realizadas perucas em lã e algodão, recriando os super-heróis infantis, destinadas às crianças que estão em tratamento no Instituto Português de Oncologia. O projeto «Magic Wigs – Hand made by me Lau» pretende sensibilizar a população para esta causa, bem como angariar possíveis colaboradores locais.

Qualquer pessoa pode participar, não sendo necessário saber tricotar ou costurar, porque as técnicas utilizadas são simples.

Final Four da Taça de Portugal Seniores Femininos

Vila Pouca de Aguiar vai receber a Final Four da Taça de Portugal Seniores Femininos a 19 e 20 de maio de 2018.

No sorteio e conferência de apresentação da prova nacional estiveram presentes a vice-presidente do Município, Ana Rita Dias, o vice-presidente da Federação de Andebol de Portugal, Augusto Silva, o presidente da Associação de Andebol de Vila Real, José Taboada e demais promotores deste grande evento desportivo.

Os jogos no Pavilhão Dr. Gomes da Costa são os seguintes:

19 maio, 15 horas: Maiastars (Maia) x SIR 1º Maio (Marinha Grande)

19 maio, 17 horas: Madeira Andebol SAD x Colégio de Gaia

20 maio, 15 horas: Final

Assembleia denuncia fuga de fundos comunitários para o Litoral

A Assembleia Municipal de Vila Pouca de Aguiar mostra-se preocupada com a reprogramação do programa Portugal 2020 e aprovou uma moção por maioria (23 a favor, 11 abstenções) questionando a gestão e critérios de atribuição dos fundos comunitários.

Há uma clara ameaça, denunciam os deputados, de que “as dotações dos programas operacionais das regiões menos desenvolvidas sejam desviadas para o cofinanciamento de projetos sedeados nas regiões mais desenvolvidas do litoral”, dendo exemplos como a linha ferroviária de Cascais ou o Metro de Lisboa.

E tendo por base uma resolução parlamentar da Assembleia da República para que não se proceda à transferência de verbas das regiões do interior para regiões desenvolvidas, os deputados municipais destacam os riscos de um aumento de assimetrias entre regiões de Portugal e já fizeram chegar a respetiva moção à Presidência da República, Governo, Assembleia da República, Associação Nacional de Municípios Portugueses e Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega.