A tradicional Feira das Cebolas conta este ano com atividades no domingo (dia 23), segunda (dia 24) e terça-feira (dia 25). A venda da cebola inicia-se às 14 horas do dia 24 e prolonga-se durante o dia 25 de setembro. Este certame regional é promovido pelo Município e EHATB.

São muitas as atividades previstas: no domingo à tarde, o jogo do malhão, concertinas, corrida de burros e corrida de cavalos em passo travado, na segunda à tarde, mostra e venda de produtos locais e degustação de caldo da cebola nas tasquinhas e à noite a desfolhada à moda antiga que será protagonizada pela Associação Acrepes.

No dia da feira – 25 de setembro – logo a partir das 8 horas, mostra e venda de produtos regionais, animação com concertinas e teatro de rua que será protagonizado pela companhia Filandorra. Entre o final da manhã e o início da tarde, irão realizar-se dois concursos nos locais habituais, o da maior cebola (Praça Camilo Castelo Branco) e o pecuário (Complexo Desportivo). Aqui seguir-se-á as chegas de carneiros e de bois. As atividades culminarão com o tradicional baile das cebolas, cuja protagonista será a Rosinha que completará o pacote de espetáculos e demais atividades da edição de 2018.

Gabinete de Apoio ao Agricultor

O território do concelho de Vila Pouca de Aguiar apresenta excelentes condições de solo e clima para a produção de cebola. Refira-se que o solo para a produção de cebola deve ser arenoso, bem drenado, rico em matéria orgânica e com Ph neutro.

O Gabinete de Apoio ao Agricultor está a desenvolver um trabalho de proximidade com o produtor onde se inclui a deslocação do técnico ao campo para avaliação dos requisitos à produção, acompanhamento da cultura e apoio na comercialização.

Este tipo de aconselhamento para o agricultor é gratuito e a respetiva logística também fica a cargo do Município. Acresce que, através desse estudo prévio e das operações culturais indicadas, a cultura da cebola é altamente rentável.

A cebola é uma das mais antigas espécies hortícolas cultivadas no mundo e é atualmente a segunda cultura hortícola mais importante (a primeira é o tomate). Portugal tem mantido a sua produção de cebolas nas 120 mil toneladas apresentando uma balança comercial bastante deficitária (importa cem vezes mais do que exporta), pelo que há uma forte possibilidade de ser bem-sucedido.

É ainda de relevar a importância do bolbo na saúde e bem-estar das pessoas dado que a cebola é rica numa substância de origem vegetal (flavonóides) com efeitos antioxidantes, anti-inflamatório, protetor cardíaco, analgésico, antialérgico, anticancerígeno, antidiabético e anti úlcera. Entre outros fatores, consumir cebola dá a sensação de saciedade.