O Município está contra o derrube de algumas árvores que se verificou na mata de pseudotsugas, localizada nas áreas envolventes às Estradas Nacionais 2, 206 e 212.

Localizada na encosta nascente de Vila Pouca de Aguiar, a mata de pseudotsugas é considerada modelo na gestão florestal onde não há memória recente de ali terem decorrido incêndios.

Para Alberto Machado, presidente do Município Aguiarense, a mata não apresenta riscos de incêndio pelo que a legislação existente não pode ser encarada de forma cega.

Tendo as autoridades sido notificadas para fazer cumprir as medidas de gestão de faixas de combustível, a referida mata não apresenta resinosas nem vegetação arbustiva que, na sua maioria, são causadoras de incêndios florestais.

Refira-se ainda que a Comissão Municipal de Defesa da floresta Contra Incêndios aprovou por unanimidade o regime de exceção e, por conseguinte, alterar o Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios para evitar a aplicação da faixa de gestão de combustíveis com a execução do corte de árvores nos troços da EN2, EN206 e EN212 que atravessam os povoamentos adultos de Pseudotsuga mensiesi que se encontram dentro da Mata Modelo do PROF – Programa Regional de Ordenamento Florestal de Trás-os-Montes.