Método inovador evita multiplicação da vespa asiática

«Isto, sim, é eficácia» afirma José Manuel sobre o trabalho desenvolvido pela equipa da Proteção Civil Municipal. O emigrante aguiarense, que está de regresso à terra para passar uns dias, sinalizou um ninho de vespa asiática.

Esta manhã, 14 de novembro, vimos três ninhos, mas apenas um ativo que foi, de imediato, eliminado porque a vespa invasora prejudica o nosso ecossistema (não mata ninguém, a pessoa alérgica corre o mesmo perigo com uma abelha normal!).

A proteção civil no concelho de Vila Pouca de Aguiar tem vindo a utilizar um método inovador com utilização de líquido de inseticida certificado que é letal para as colónias de vespa asiática. Apesar da proteção civil já ter dizimado 160 ninhos de várias espécies, no que respeita à vespa asiática, a redução de ninhos referenciados no concelho desceu de 22 (2018) para 8 (2019).

Desta feita, o oitavo ninho deste ano, foi também considerado o mais volumoso desde que a proteção civil municipal regista a vespa velutina. João Fontes e Marcelino Ribeiro deslocaram-se ao norte do concelho para dizimar mais uma colónia de vespa invasora pelo método de aplicação de inseticida que evita a proliferação de ninhos  de vespa asiática.

Primeiras Jornadas Equestres no Centro Hípico de Pedras Salgadas

O Centro Hípico de Pedras Salgadas vai promover pela primeira vez Jornadas Equestres em que serão aprofundadas várias temáticas à volta do mundo do cavalo.

Dezenas de pessoas vão poder conhecer melhor o setor equestre no próximo sábado, 16 de novembro, da teoria à prática.

Ferração, suplementos, maneio alimentar e condição corporal; ao longo do dia, será ainda possível perceber a importância e obrigatoriedade do registo e identificação animal, cólicas e odontologia, assim como outras problemáticas especificas do animal.

Localizado no concelho de Vila Pouca de Aguiar, o Centro Hípico de Pedras Salgadas é um dos melhores do país e atrai cada vez mais especialistas do setor e pessoas que gostam de lidar com equídeos.

Orçamento Participativo Português: O Teatro e as Serras estreou na aldeia de Vila do Conde

Vila do Conde é uma terra viva! Vimos muitas pessoas da aldeia “e de fora” a juntarem-se a 10 de novembro na antiga escola primária, agora jardim de infância, desta aldeia transmontana para assistirem à peça de teatro “Pó” integrada no projeto O Teatro e as Serras, um dos vencedores do Orçamento Participativo Português.

A peça nasceu de testemunhos recolhidos junto das comunidades locais e de excertos da obra “Pedro Páramo” do escritor mexicano Juan Rulfo. Em Vila do Conde, no centro social e comunitário de Nossa Senhora de Fátima, presidido por José Diegas, foram recolhidos alguns dos depoimentos para a peça da Peripécia Teatro que, neste concelho, contou com o apoio logístico da Freguesia de Valoura, liderada por Paulo Santos, e do Município, que esteve representado pela vereadora da cultura, Ana Rita Dias.

“Pó” é uma nova criação da Peripécia Teatro que aborda a temática da desertificação que inclui memórias de quem vive nessa região e que personagens interpretadas pela atriz Sónia Botelho acompanhada pelo ator e músico Vítor Hugo Ribeiro vão soltando sons e sussurros. As vozes de aldeãos como Maria da Livração (Vila do Conde) e José Teixeira (Padrela) conferem mais autenticidade a este projeto artístico descentralizador.

A atriz Sónia Botelho, a produtora Sara Casal e o músico Vítor Hugo Ribeiro viajaram pela Serra da Padrela em busca de testemunhos e materiais que serviram de fonte de inspiração para o espetáculo. Reunir a população em torno de um projeto artístico é algo que foge do quotidiano destas comunidades. Com esses materiais, construiu-se um espetáculo concebido para ser apresentado em espaços não convencionais de Vila Pouca de Aguiar, Valpaços, Mirandela e Alfândega da Fé.

A Direção e Dramaturgia é de Sérgio Agostinho e Noélia Domínguez e conta com as interpretações de Sónia Botelho e da música original ao vivo de Vítor Hugo Ribeiro. O Espaço Cénico é de Taveira Durão, a Iluminação e Som de Nuno Tomás e a Produção Executiva de Sara Casal. Há ainda a colaboração de Patrícia Ferreira que prestou apoio à produção.

Concursos natalícios abertos à comunidade

O concurso Árvores de Natal é destinado à comunidade escolar e às coletividades aguiarenses.

Os trabalhos terão de ser coletivos, podendo ser apresentados por turmas do agrupamento de escolas, por coletividades culturais e recreativas e por instituições particulares de solidariedade social. Para tal, é necessário preencher formulário e entregar no gabinete de cultura da autarquia até dia 15 de novembro, presencialmente ou via e-mail: cultura@cm-vpaguiar.pt

Relativamente ao concurso Presépios de Natal Reciclados é destinado aos agrupamentos de escuteiros. De igual modo, é necessário preencher formulário e entregar no gabinete de cultura da autarquia até dia 15 de novembro, presencialmente ou via e-mail: cultura@cm-vpaguiar.pt

Ambos os concursos são promovidos pela autarquia e estão integrados na iniciativa Vila Natal, organizada pela Câmara Municipal e EHATB, que decorre até ao início de 2020.

Estreia de peça de teatro em aldeia transmontana

“Pó” é uma nova criação da Peripécia Teatro, que estreia dia 10 de novembro, às 16 horas, em Vila do Conde, mais propriamente na antiga Escola Primária – agora Jardim de Infância – desta aldeia transmontana;

A atriz Sónia Botelho, acompanhada pela produtora Sara Casal e pelo músico Vítor Hugo Ribeiro viajaram pela Serra da Padrela em busca de testemunhos e materiais que serviram de fonte de inspiração para o espetáculo. Reunir a população em torno de um projeto artístico é algo que foge do quotidiano destas comunidades;

Com esses materiais, e excertos da obra “Pedro Páramo” do escritor mexicano Juan Rulfo, construiu-se um espetáculo concebido para ser apresentado em espaços não convencionais dos Municípios de Vila Pouca de Aguiar, Valpaços, Mirandela e Alfândega da Fé;

A Direção e Dramaturgia é de Sérgio Agostinho e Noélia Domínguez e conta com as interpretações de Sónia Botelho e da música original ao vivo de Vítor Hugo Ribeiro. O Espaço Cénico é de Taveira Durão, a Iluminação e Som de Nuno Tomás e a Produção Executiva de Sara Casal. Há ainda a colaboração de Patrícia Ferreira que prestou apoio à produção.

Quando a Terra tremer, há três gestos para fazer

15 de novembro, 11h15, A Terra Treme! Há que baixar, proteger, aguardar. Se o fizer corretamente, então este exercício poderá vir a salvar-lhe a vida.

O exercício tem data e hora marcada. A título simbólico, a sirene da sede de concelho irá alertar para sinalizar o início desta ação de âmbito nacional.

A Proteção Civil Municipal convida todas as pessoas – estejam onde estiverem – a fazer o exercício de sensibilização para o risco sísmico: 15 de novembro, 11h15, baixe-se, proteja-se e aguarde!

Além da comunidade aguiarense, há vários agentes coletivos de proteção civil em todo o território concelhio que vão aderir a esta iniciativa com a realização do exercício nas respetivas instalações.

Bombeiros Voluntários, Postos de GNR de Vila Pouca de Aguiar e Pedras Salgadas, Agrupamento de Escolas, Juntas de Freguesia (…) são as coletividades que já aderiram a esta atividade de prevenção.

Fim de semana grande com centenas de refeições e venda de produtos

Restaurantes cheios, produtores satisfeitos. No fim de semana da Mostra Gastronómica foram servidas centenas de refeições com cabrito, castanhas, cogumelos e outras iguarias nos restaurantes aguiarenses. E no Mercado Municipal, produtos do bosque e do campo foram sendo escoados através de visitantes oriundos de várias zonas do país e da vizinha Espanha.

Ao longo dos três dias do evento fomos auscultando empresários locais e visitámos espaços de restauração onde houve bastante procura pela gastronomia regional. Foi, seguramente, uma das melhores edições da mostra gastronómica!

No mercado Municipal, os produtos da floresta – castanhas e cogumelos – e do campo, em especial hortícolas, mel e compotas tiveram uma forte procura, desde sexta até domingo.

Além da gastronomia como o cabrito assado ou a míscarada e dos produtos de eleição tais como judia, cota e longal na castanha ou boletos, cantarelos e champignon nos cogumelos, as atividades socioculturais e de animação musical foram diversas. E aqui é de destacar o concerto de Ana Bacalhau no sábado à noite com centenas de pessoas rendidas à voz da artista portuguesa.

Organizada pelo Município e EHATB, a XVIII Mostra Gastronómica incluiu ainda atelier infantil e com exposição temática, workshop de cogumelos, teatro, animação com Acrepes, Ustag e Alvão, workshop de culinária, caminhada, e magusto com adesão popular.

Mostra com sabores para todos os gostos

Uma dezena e meia de restaurantes do concelho de Vila Pouca de Aguiar decidiu aderir à mostra gastronómica de cabrito, castanhas e cogumelos! De 1 a 3 de novembro, haverá o melhor da gastronomia transmontana, venda de produtos e animação musical, em especial com o Baixinho do Fado na sexta e a Ana Bacalhau no sábado à noite.

A variedade dos produtos confecionados é imensa, desde logo nas entradas: caldo de castanha, míscaros em tacho de pão, pataniscas ou quiche de cogumelos, cremes e aveludados…e há também quem opte por refeições ligeiras em petiscos como pipis de cogumelos ou costelinhas, em hambúrgueres com castanha e cogumelos ou ainda saladas especiais…

Agora, a mesa posta de principais que saciam os apetites mais abundantes tem cabrito assado com castanhas, arroz de cogumelos ou míscarada. E estes produtos do monte ainda combinam com vitela, javali ou polvo. E sobre a mesa, ainda os doces de castanha como bolo, brownie, creme, mousse, pudim ou tarte, e doce de míscaros com queijo e mais sugestões adocicadas.

Organizada pelo Município e EHATB, a XVIII Mostra Gastronómica inclui as refeições nos locais de restauração e as atividades socioculturais decorrerão no Mercado Municipal (sexta: atelier infantil e workshop de cogumelos; sábado: teatro, animação com Acrepes, Ustag e Alvão, atelier infantil e workshop de culinária; domingo: caminhada, atelier infantil e magusto popular); e uma exposição temática na Biblioteca Municipal.

De volta à gastronomia, Alvão Village, Casa de Chá (Pedras Salgadas), Complexo Snack Bar, Costa do Sol, Escalhão, Europa, Ferreirinho, Girassol, Hamburgueria Balas, Jardim das Sopas, Nascente do Corgo, O David, O Tijolo, Tasca do Tó e Três Velhotes são os locais onde poderá degustar as iguarias gastronómicas regionais. Para abrir o apetite, pode visualizar as ementas e o spot oficial

Biodiversidade na Biblioteca Municipal

Viagem ao mar profundo; O clima está a mudar; A riqueza da biodiversidade; Anfíbios, uma pata no mar, outra na terra; A poluição dos nossos mares; Desertos, a vida no limite; Vamos conhecer o ar; À procura de nova energia.

Estamos a falar de títulos de exposições que poderão ser visitadas a partir de janeiro na Biblioteca de Vila Pouca de Aguiar.

Subordinadas à preservação do meio ambiente e às alterações climáticas, as exposições estarão patentes na sala polivalente da Biblioteca Municipal ao longo de 2020.

A Organização das Nações Unidas estabeleceu que 2020 será o Ano Internacional da Fitossanidade, contribuindo assim para a preservação da flora mundial.

Refira-se que as exposições temáticas são possíveis devido a uma parceria existente entre o Município de Vila Pouca de Aguiar e os Municípios de Braga, Guimarães e Vila do Conde, o Centro Ambiental de Matosinhos e o Centro de Monotorização Ambiental de Vila do Conde.

Já são conhecidos todos os vencedores do orçamento participativo jovem 2019

No total são cerca de trinta mil Euros que a Câmara Municipal providencia aos alunos do Agrupamento de Escolas e às coletividades juvenis do concelho para, nas palavras do autarca Alberto Machado, decidirem o que consideram mais importante para execução em território concelhio.

Uma das mais antigas bandas filarmónicas do país acaba de vencer o orçamento participativo jovem do concelho aguiarense, designado de Autarquia Jovem.

Pontido Cultural é a proposta vencedora que inclui um documentário, uma exposição permanente e vários eventos de cariz cultural. Presidida por Hugo Pinto, a Banda terá agora ao seu dispor 13 mil Euros para elaborar um documentário histórico, transformar a casa de ensaio num espaço museológico com dinâmicas culturais.

Criada em 1765, a Banda Musical do Pontido conta com sessenta músicos, dos 10 aos 60 anos de idade. Há 120 pessoas do concelho que frequentam a escola de música do Pontido onde aprendem bombardino, clarinete, saxofone, trompete e outros instrumentos musicais.

A proposta Pontido Cultural enquadra-se na quarta sessão do orçamento participativo que foi direcionada para associações juvenis, escuteiros e jovens até aos 30 anos. As demais sessões de orçamento participativo foram dirigidas à comunidade escolar.

Com o valor máximo de 5.000€ por proposta, as candidaturas vencedoras são as seguintes: primeiro ciclo (escola digital); segundo e terceiro ciclo (requalificação de pavilhões escolares); ensino secundário (requalificação de auditórios escolares).

O programa Autarquia Jovem foi criado pelo Município de Vila Pouca de Aguiar para promover a cidadania participativa entre os mais novos.