João Fontes e Marcelino Ribeiro, da Proteção Civil Municipal, entraram pelo souto adentro munidos do equipamento e líquido letal, destinados às vespas asiáticas. É o primeiro em Vila Pouca de Aguiar e foi sinalizado através do sistema de ocorrências (Infracontrol).

Entretanto, o Coordenador Municipal da Proteção Civil, Duarte Marques, recebeu a identificação de mais um ninho de vespa asiática, desta feita, em Vreia de Jales.

A equipa deu resposta aos dois registos a 9 de novembro; em cerca de dois meses, a Proteção Civil Municipal já dizimou mais de duas dezenas de ninhos em cenários tão distintos como soutos ou apegados às casas.

Ao início da tarde desta sexta-feira chuvosa, a equipa deslocou-se ao terreno e, após avistar o ninho e preparar o equipamento, direcionou a cana até ao cume de um castanheiro com vinte metros de altura e feito o contacto com o ninho invasor iniciou-se a bombagem do líquido que foi dizimando as vespas; este modus operandi também se verificou com o ninho alojado num carvalho.

A rápida deteção e eliminação dos ninhos de vespa velutina levam ao controlo da praga e à minimização da sua expansão na região. Há uma guerra silenciosa entre a vespa velutina e o meio ambiente com especial prejuízo para os apiários e respetiva produção de mel.