O encontro de hoje, 10 de abril, juntou os principais agentes dinamizadores da Escola de Soldadura que nasce da colaboração entre Município, Centro de Formação Profissional da Indústria da Fundição, Instituto de Emprego e Formação Profissional, e a empresa Andritz Hydro que estabeleceram um protocolo para a formação de soldadores com o objetivo de promover a capacitação local na área de formação da Metalurgia e Metalomecânica.

Com um índice de empregabilidade de 100%, aí está um novo curso que integra cerca de duas dezenas de formandos e que decorre até 7 de agosto deste ano. A componente teórica é da responsabilidade do IEFP e a componente prática fica a cargo do CINFU.

O Município investiu cerca de 140 mil euros que, segundo o autarca Alberto Machado, serve o propósito de promover a empregabilidade local. Muitos de vós estão a iniciar um percurso de vida profissional que espero que vos corra bem. Gizela Espírito Santo, diretora do IEFP, acredita que os formandos não terão problemas de empregabilidade. Helena Oliveira, diretora do CINFU, sublinha que os alunos terão os melhores formadores em soldadura. Ricardo Pereira, supervisor da empresa Andritz Hydro, recorda que começou por ser soldador e, no setor, a taxa de sucesso é elevada.

Nas instalações desta escola profissional a formação teórica e prática abre portas à criação de novos empregos. No local, os formandos apreendem técnicas em contacto com as máquinas. Os formandos podem, no final, ter trabalho garantido na área industrial.

Recorde-se que os formandos da primeira edição do curso da Escola de Soldadura de Vila Pouca de Aguiar tiveram a oportunidade de ingressar de imediato na Andritz Hydro que está a realizar obras no Sistema Eletroprodutor do Tãmega, cujo promotor é a empresa Iberdrola.