O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita presidiu à cerimónia de inauguração do Quartel dos Bombeiros e de comemoração do centenário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários.

O dia 16 de dezembro de 2017 é um marco na história do concelho e Alberto Machado, presidente do Município aproveitou para honrar e prestar um agradecimento público a todos os bombeiros cuja única missão, adiantou José Eduardo Quinteiro, presidente da direção da associação, é salvar o próximo.

Alberto Machado recebeu o diploma de associado honorário dos Bombeiros e a Associação Humanitária recebeu por parte do Estado português a medalha de mérito de proteção e socorro, grau ouro.

O ministro Eduardo Cabrita falou na criação de Equipas de Intervenção Permanente indo de encontro às expectativas de Alberto Machado, José Quinteiro e Jaime Marta Soares, que preside à Liga dos Bombeiros. O governante referiu a necessidade de descentralizar para colocar a prevenção em primeiro plano, desde logo através da limpeza na qual o papel das autarquias será essencial pelo que poderão contar com o apoio de bombeiros e forças de segurança.

Relativamente aos apoios regionais à floresta, Alberto Machado anunciou a criação de equipas de sapadores nas freguesias, uma brigada florestal no Alto Tâmega envolvendo os seis concelhos e um Cartão Municipal do Bombeiro com vários benefícios locais.

Localizado na sede de concelho, o novo quartel dos bombeiros implementado no local da Brangada inclui espaço para aquartelar viaturas, camaratas mistas, sala de formação, sala de convívio, gabinetes de comando, salas de reunião e uma “casa escola” (espaço de simulação para ocorrências em edifícios), entre outras valências de apoio. Atualmente, no quadro ativo, há 63 bombeiros.

O novo Quartel dos Bombeiros envolveu inicialmente verbas na ordem de 1,5 milhões de euros destinadas ao edifício e arranjos exteriores com uma comparticipação comunitária de 85% através do Programa Operacional de Valorização do Território. Mais recentemente, o Município assegurou a comparticipação comunitária, através do Plano de Ação de Regeneração Urbana, para investir cerca de quatrocentos mil euros na requalificação e acessos na zona envolvente do aquartelamento.