Nasceu em França, cresceu em Portugal e viveu noutros países nos continentes europeu, africano e asiático.

Depois de praticamente ter dado a volta ao mundo, Cristina Machado regressou ao concelho de Vila Pouca de Aguiar e em especial à aldeia de Fontes onde se fez menina e mulher.

É neste concelho transmontano onde vive com o seu marido (que conheceu além fronteiras) e filhos, que se dedica ao ensino, à tradução e à escrita.

O seu mais recente livro, Perpétua da Roda, retrata a vida de uma menina que, com apenas quatro dias, será levada para o hospício de Santa Clara.

Na região, a Roda – dispositivo que permitia a recolha de crianças órfãs ou abandonadas, ao abrigo do anonimato – funcionava no Convento de Santa Clara (atualmente, tribunal de Vila Real).

A escritora tem vindo a deslocar-se pelo país para dar a conhecer este romance, tendo recentemente sido apresentado no concelho aguiarense.